Turbulência

makoto fujimura

Respirar o ar pesado nesses dias faz o pulmão pedir clemencia

Ele diz que do lado dele minha queda não deixará marcas

De quem é a culpa?

O choro é livre

A dor é curta?

Curto

Escrever nas paredes o grito devido parece o mais adequado quando querem silêncio

Não sou a ode desses homens tolos de brigas vãs querida

Comungo sempre pra não me perder

Quem anda perdido?

Você vai lá?

Perco

Recomeço os planos pra não perder o norte do caminho só

Porque caminhar tanto ao lado deles?

Porque ir até a sala?

E os olhos?

Vejo

Acordei de manhã pra não dizer o que passei toda a noite querendo gritar

As fotos na parede não mostraram o que eu queria ver

O peso se foi no novo som

Leve o fardo meu?

Pode ser?

Levo

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s